23 abril 2010

Deus tem Inimigos?













Por Jorge Fernandes Isah


É interessante que afirmamos o tempo todo ser satanás e o réprobo inimigos de Deus. Damos tanta atenção a alguns aspectos que existe uma legião de crentes capaz de considerar o diabo como um inimigo de Deus, estando no mesmo pé de igualdade, à Sua altura; quase como se fosse um “Deus”. Mas biblicamente, o que nos é dito? Eles são rivais? De certo modo, é verdade. Mas Deus tem inimigos? Sob qual ponto de vista Ele tem inimigos?

A palavra inimigo quer dizer:

1) Segundo o Priberan: adj. s. m. 1. Hostil, contrário a. 2. Que aborrece ou quer mal. 3. Que milita em facção oposta. 4. Com quem se anda em guerra. s. m. 5. Pop. Diabo.

2) Segundo o Michaelis: adj (lat inimicu) 1. Que não é amigo. 2. Adverso, contrário, hostil. 3. Indisposto, malquistado. 4. Adversário. sup abs sint: inimicíssimo. sm 1. Pessoa que tem inimizade a alguém. 2. Nação, tropa, gente com quem se está em guerra. 3. O diabo, o demônio. 4. O que tem aversão a certas coisas.

Definido o termo, há dois aspectos a serem ponderados:
1)  Num sentido, Deus tem inimigos, como a própria Bíblia afirma. Se considerarmos que satanás e os réprobos fazem oposição a Ele, desobedecendo-o, em rebeldia, entendemos que há inimizade entre eles. Como os desejos do diabo e dos ímpios serão sempre contrários aos divinos, podemos declarar que o Senhor tem inimigos. E, na verdade, Deus odeia tudo quanto eles fazem [logo, odeia-os também], porque suas ações são sempre antagônicas à santidade e perfeição divinas.

2) Em outro sentido, não há como sustentar a afirmação. Por que? Tanto o diabo como os réprobos foram criados com um propósito claro e definido. Como criaturas, estão sujeitos à vontade do Criador, e não são seres autônomos que podem fazer o que lhes “der na telha”, mas estão a cumprir rigorosamente todo o plano soberano de Deus, sem que nenhum dos seus atos e vontade estejam alheios a Ele, que os mantém sob o Seu serviço, às Suas ordens, como subordinados e completamente dependentes dEle. Portanto, o Senhor não tem inimigos, mas subalternos.

Parece algo conflituoso, mas não é. Veja bem: do ponto de vista de se oporem a Deus, de trabalharem contra, dando vazão à natureza rebelde, e assim desobedecê-lo, satanás e os réprobos são inimigos. Mas dentro do decreto eterno, onde todas as coisas, inclusive os anjos caídos e os ímpios, encontram-se na categoria de forjados, talhados e moldados pelo Criador para cumprirem Seus santos e perfeitos desígnios... sendo como tudo o mais criação e criaturas; sendo o poder delas proveniente, secundário e ordenado; sendo o Senhor Todo-Poderoso e não havendo “força” que possa confrontá-lo, nem impedi-lo de realizar qualquer dos seus propósitos... Deus não tem inimigos. Deve-se frisar que mesmo os atos pecaminosos e frontalmente contrários a Deus, executados pelas criaturas, foram por Ele determinados e ordenados antes da fundação do mundo.

Qual demônio ou mesmo legiões de demônios, homem ou elemento da natureza pode agir livremente e eficientemente impugná-lo? Quando digo livremente, estou a dizer a possibilidade de uma vontade neutra, sem coerção ou influências, o que, entre as criaturas, é impossível. Todos, sem exceção, até mesmo Adão e Eva no Éden estão sujeitos a algum tipo de constrangimento; quanto aos elementos da natureza, eles não têm vontade, logo, não lhes é possível fazer escolhas.

Deve-se entender que a natureza caída do homem exerce influência nele, e ele se opõe pela força da sua natureza, a qual o leva a escolher se rebelar. Com isso não quero dizer que o homem é escravo de sua natureza, no sentido de dominá-lo à força, mas o intelecto, as vontades e decisões trabalham em comum acordo, em sintonia, cumprindo o intento de se rebelar contra Deus assim como a natureza pecaminosa do homem quer fazê-lo.

Por eficiência, digo que se refere ao fato do homem se rebelar e levar a melhor contra Deus, tendo a mais insignificante e irrisória possibilidade de vitória. Ninguém pode derrotá-lo. Ainda que alguns achem possível, e o diabo especialmente parece disposto e empenhado em infligir-lhe um revés... Como isso aconteceria? 

Criaturas não-eternas não podem vencer o Eterno. Criaturas não-infalíveis não podem vencer o Infalível. Criaturas não-soberanas não podem vencer o Soberano. Criaturas não-santas não podem vencer o Santo. Criaturas não-perfeitas não podem vencer o Perfeito. Em todos os aspectos, satanás e os réprobos já estão derrotados, antes mesmo da fundação do mundo; na verdade, foram criados para a perdição eterna, a derrocada inevitável, sem a menor chance de vitória.

Portanto, pode Deus ter inimigos? Sim e não. Não há nenhum paradoxo ou mistério nesta assertiva. Apenas são faces diferentes de uma mesma moeda, na qual Deus usa de uma linguagem antropomórfica para que entendamos a Sua relação como Criador com a obra de Suas mãos: anjos, homens e a natureza. No fundo, tudo se resume em: ainda que Deus tenha inimigos, eles nada podem fazer contra Ele, pois, na condição de servos, resta-lhes obedecê-lo ainda que na desobediência. Se quisesse, o Senhor já tê-los-ia destruído, assim como tudo o que criou e que pode ser chamado e colocado no rol de "inimigo".

Deus não tem inimigos pois não há ninguém, nem força alguma capaz de confrontá-lO; algo que possa, de alguma forma e alheio ao Seu controle, opor-se deliberadamente. Ou seja, nada se resolve sem a aquiescência divina; nenhum ato é possível independente dEle; mesmo o mal, o pecado, a rebeldia, a obstinação pecaminosa, todos foram traçados e estão diante dos Seus olhos eternamente.

E assim, quer por bem ou por mal, o homem, seja natural ou espiritual, glorifica-lo-á,  assentindo ou não, na salvação ou condenação, pois toda a vontade decretiva divina se cumprirá inexorável e infalivelmente. Por que, no fim, toda a criação objetiva a glória de Deus.

E Ele é e será glorificado; ontem, hoje, sempre.

15 comentários:

  1. Jorge...

    Assino em baixo!

    Esli Soares

    ResponderExcluir
  2. Pr. Esli,

    espero por um abaixo-assinado (rsrs). E sua assinatura no topo, é uma honra.

    Abraços.

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  3. Rapaz...

    Eu tenho que melhorar muito para escrever algo digno de ser postado aqui!

    Na paz daquele em quem estamos firmados.

    Esli Soares

    ResponderExcluir
  4. Pr. Esli,

    as aulas que o irmão tem dado especialmente no "Cinco Solas" o desmentem com veemência.

    E quanto ao blog? Ainda não se decidiu a criá-lo?

    Cristo o abençoe!

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  5. Como bem disse o Pr. Esli, eu também "tenho que melhorar muito para escrever algo digno de ser postado aqui!" e "Assino embaixo."

    Fraterno e forte "upa" [abraço] Reformado, de quebrar as costelas da alma.

    Vini

    ResponderExcluir
  6. Vinícius,

    Como um bom amigo, você exagera. Já lhe propus estas e outras páginas dos meus blogs para você escrever. Portanto, o convite continua de pé!

    Abraços.

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  7. Jorge,

    Li o artigo, pensei em comentar algo, mas não tenho mesmo nada a acrescentar. Concordo plenamente com tudo. Semelhante a você, penso que Deus, do alto da Sua Onipotência, soberania e majestade, não tem inimigos, pois Ele a tudo e a todos governa.

    Parabéns, excelente artigo!

    Deus te abençoe.

    Ricardo

    ResponderExcluir
  8. Ricardo,

    obrigado por seu comentário.

    Acho que pensamos muito igual, e fica as vezes difícil eu comentar alguns textos seus também exatamente pela concordância.

    Então, as vezes um "olá" é suficiente.

    De certa forma, o meu texto é um pouco redundante, tendo-se em vista que os calvinistas sempre creem e creram que os "inimigos" de Deus são como palhas no fogo.

    Decidi escrever sobre o assunto porque, ainda assim, isso pode não estar claro na mente de muitos, e é bom que todos saibam que Deus é soberano, onipotente e o único Rei sobre todas as coisas.

    Grande abraço, meu amigo!

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  9. Natan,

    o irmão leva tudo muito ao pé-da-letra (rsrs)...

    Cristo o abençoe, meu amigo!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  10. Irmão,

    pelos comentários anteriores, não é necessário adicionar qualquer outra posição.

    Em Cristo.

    Escrivi um póst, mas gostaria de sua avaliação antes de publicá-lo.

    Se possivel, me diga como devo fazer.

    Paulo Brasil

    ResponderExcluir
  11. Paulo, meu irmão,

    mande-me o texto pelo email dosty@monergismo.com

    Terei o maior prazer em ler.

    Abraços.

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  12. Prezado irmão Jorge,
    muito bom o artigo. Dá um tiro nesses ensinamentos chulos que apontam para um maniqueismo exacerbado. O que tem adoecido a igreja é esse ensino que põe o cristão na retaguarda se defendendo indefinadamente contra demonios que atuam em tudo e todas as circunstância sem nenhum tipo de controle. Daí surgirem os ensinamentos de dar legalidade ao diabo etc. A soberania de Deus nos conduz às águas de descanso. O controle pertence ao Senhor e nada pode mudar está verdade.
    Um abraço
    Em Cristo

    ResponderExcluir
  13. Pr. Luiz Fernando,

    o diabo e o homem têm de ser "endeusados", porque assim fica mais fácil controlar e dominar, pelo terror, a mente incauta e tola. Tanto poder é-lhes transferido que não sei como Deus ainda não foi destruído...

    Infelizmente, tudo isso que campeia e assola os redutos cristãos são os frutos da negligência bíblica, da inconversão e da sanha carnal em satisfazer os desejos mais degradantes e baixos da mente caída do homem.

    Mas algo que não podemos esquecer é de que Deus é o Todo-Poderoso, e há um remanescente que não se curvou à Baal pelo poder que há no sangue de Cristo derramado na cruz. Então, que cada um de nós faça o que lhe cabe fazer: proclamar a verdade, Cristo e seu Evangelho, e vivê-lo intensamente, como assim nos chamou Aquele que nos resgatou das trevas para a luz.

    Grande abraço, meu amigo!

    Cristo o abençoe e ao seu ministério.

    ResponderExcluir
  14. Por mais insignificante e vencido existe o inimigo de Deus, aqueles que relutantes não aceitam o sacrifício de Cristo na cruz do calvário, estes continuam sem reconciliação e , portanto, inimigos de Deus. Romanos 5:10 " Porque, se nós, quando inimigos fomos..."

    ResponderExcluir