08 abril 2010

A Mentira de Que Tudo é Verdade


















Por Jorge Fernandes Isah


“Santifica-os na tua verdade; a tua palavra é a verdade” [Jo 17.17]

Este versículo derruba qualquer expectativa dos pós-modernistas de santificação. Também lança por terra as esperanças dos relativistas. Dos liberais. Dos mentirosos, e, sobretudo, daqueles que amam a mentira. Não há possibilidade de santificação fora da verdade; e sendo a palavra de Deus a verdade, fora dela o homem permanece morto em seus delitos.

A Escritura desmente às afirmações e tendências teológicas modernas de que se é possível a salvação sem Cristo, sem a Palavra. Baseados no sentimentalismo suicida da alma natural ela crê não ser necessário nem um nem outro para se alcançar a intimidade com Deus. Na verdade, esse homem está depositando todas as suas fichas num prêmio que acredita ser capaz de obter por seus próprios meios, mas que o deixará exatamente no mesmo estado em que se encontra: condenado.

É interessante que as religiões, mesmo o “cristianismo” humanista, proclama que qualquer caminho pode levar a Deus. De que a importância está naquilo que o homem tem no seu íntimo, no seu desejo de encontrá-lo. Mais surpreendente ainda é que a cosmovisão desse mesmo homem o levará à destruição, pois o que há nele além do mal? “Porque não há retidão na boca deles; as suas entranhas são verdadeiras maldades, a sua garganta é um sepulcro aberto” [Sl 5.9].

A falácia de que se o homem for sincero Deus se apiedará dele, não passa de uma desculpa esfarrapada para a autopreservação do pecado. Não há garantia de que a sinceridade na mentira produzirá a santidade. Pelo contrário, a santidade é possível apenas na verdade. E se não houver santificação, não há salvação. Por toda a Escritura este conceito está delineado, podendo ser resumido da seguinte forma: “Como está escrito: Sede santo, porque eu sou santo” [1Pe 1.16]; e, “Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor” [Hb 12.14].  Cristãos professos, mas que acreditam possível manter uma vida impiedosa, sem arrependimento, sem frutos para a glória de Deus, estão esquentando os bancos das igrejas, enganam-se a si mesmos, pois sobre eles permanece a ira do Senhor [Jo 3.36].

Igualmente, os que não crêem na Bíblia como a fidedigna palavra de Deus, considerando-a um livro moral como outro qualquer; ou aqueles que a interpretam equivocadamente [guiados por suas mentes carnais e não pelo Espírito]; ou os que a negligenciam, relativizam, duvidando de sua historicidade; em suma, os que não a têm por fiel, inerrante, infalível e, portanto, verdadeira, jamais verão a Deus. Podem ser sinceros o quanto for. Podem ser eruditos o quanto for. Podem apresentar as mais plausíveis e convincentes argumentações para desacreditá-la. Podem mesmo tê-la à cabeceira da cama como um adorno, como um amuleto, ou como um livro de “máximas humanas”; podem admirá-la, e considerá-la com respeito; porém, se não for a verdade absoluta, o próprio Deus falando com o seu povo, de nada servirá todo o seu esforço; porque está direcionado à mentira, à insensatez, de tal forma que manterá o pecado intocado, intacto, em seu efeito de produzir o homem morto para Deus.

Então, o ponto é: qualquer que seja o padrão da mentira, sua eficácia anula o conhecimento de Deus; e seus frutos permanecem latentes, à espera de se abrir as portas do Inferno.

Por isso, na oração, o Senhor não está a falar de todos os homens. O contexto de João 17 é delineado pelas palavras de Cristo: “para que dê a vida eterna a todos quantos lhe deste” [v.2]; “Manifestei o teu nome aos homens que do mundo me deste” [v.6];  “Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus” [v.9]; “Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu” [v.12]; e outras citações mais no texto sagrado. O que se evidencia e se torna patente na intercessão de Jesus é que não está a pedir por todos os homens, mas o seu alvo é definido, claramente delimitado: os que foram predestinados eternamente para serem conforme a Sua imagem. O fato da oração acontecer imediatamente após falar com os discípulos [v.1], não deixa dúvidas de por quem pedia: os eleitos, os salvos.

Como os réprobos não podem e jamais poderão ser santificados [não depende deles, mas de Deus], ainda que ouvindo a palavra, o resultado será o oposto ao produzido nos eleitos: a rejeição à verdade. O Evangelho gera salvação no eleito, e condenação no réprobo porque a palavra há de julgar no último dia” [Jo 12.48]. O fato é que, como verdade, ele condena a mentira; e todo aquele que não pratica a verdade, “não vem para a luz, para que as suas obras não sejam reprovadas” [Jo 3.21], já está condenado.

Dizer que tudo é verdade, é mentira. Acreditar nela, levará a uma verdade: a morte eterna.

Não se pode esquecer que Cristo é a verdade [Jo 14.6], e também a palavra [1Jo 5.7].  Logo a santificação somente é possível por Ele. E qualquer que diga o contrário é mentiroso, ainda que sincero; porque a mentira sincera é a mais extrema manifestação de estupidez e ignorância.

Sem entrar em todos os pormenores envolvidos na santificação, o que o verso introdutório está a dizer é muito claro: ninguém pode ser santificado no engano, no erro, na falácia. Apenas a palavra de Deus é a verdade; e nela, o novo-homem, o eleito, será santificado, em obediência a ela.

Sem nos esquecer de que a salvação e a santidade foram determinadas na eternidade, e ambas acontecerão infalivelmente, aos eleitos, pelo poder de Deus.

E isto é a mais pura verdade.

40 comentários:

  1. Jorge, caro irmão,

    Concordo plenamente com o seu texto. Como alguém espera alcançar a redenção pregando outro Evangelho senão o de Cristo? Como pode se achar espiritual e ungido se conduzindo por práticas anti-bíblicas?

    Ultimamente eu tenho pensado muito nisso: pessoas que estão nas igrejas, são atuantes, mas propagam apenas heresias... será que têm Deus? Ou apenas estão enganadas? Mas por que não ouvem a verdade, mesmo quando incessantemente repetidas a elas?

    Eu ando muito decepcionado com a igreja e você sabe bem o porquê. É claro que não generalizo, mas a minha, posso assegurar que se perdeu, aderindo ao nefasto liberalismo, às práticas neopentecostais, às unçoes e tantas outras bizarrices. Confesso que sou um estranho no ninho.

    Porém, continuo com a certeza esposada pelo seu texto: somente a Palavra de Deus leva-nos a um encontro verdadeiro com Ele, através de Cristo.

    Grande abraço meu irmão e ore por nós. Continuo orando pela conversão da sua família.

    Deus os abençoe!

    Ricardo

    ResponderExcluir
  2. Ricardo, meu amigo!

    Infelizmente, vivemos tempos difíceis, onde cada um quer ouvir apenas a própria voz e fazer-se surdo à voz de Deus.

    Desprezar a Escritura em favor de sensações e emoções é o mesmo que colocar a corda no pescoço e puxar. É suicídio espiritual. Por isso, o número de crentes fracos e que em nada servem para iluminar e salgar o mundo aumenta a cada dia, a despeito do aumento numérico dos evangélicos. Fica a pergunta: em quê temos transformado e melhorado o mundo? Tornado-o mais justo e ordenado?

    Mas não desista. Certamente o Senhor lhe destinará a um corpo local onde poderá servi-lo... porém, acho que o irmão não deveria esquecer-se do alerta do pr. Silas Figueiras, lembra?

    Quem sabe não é o momento do irmão refletir e orar mais a Deus nesse sentido? Talvez o que o Senhor queira no ministério.

    Continuarei orando pelo irmão, e para que a igreja onde congrega seja purificada. De uma maneira ou de outra, certamente, a igreja do Senhor será, infalivelmente.

    Grande abraço, meu irmão!

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  3. Excelente texto! O grande desafio para os cristãos verdadeiros hoje,é conservar a consciência de de que, apesar do relativismo pós-moderno, ainda existe verdade!

    ResponderExcluir
  4. Voltaire,

    Sim, este é um grave e sério problema do cristianismo atual, onde nem a Escritura, nem Deus são absolutos, pois têm de se "adequar" à mente caída e corrompida dos homens.

    Mas graças a Deus que Ele tem preservado e sustentado o Seu povo a manter-se firme na Rocha, Cristo, guardando a fé que nos foi dado uma vez.

    Grande abraço, e volte sempre!

    Cristo o abençoe!

    ResponderExcluir
  5. Graça e paz Jorge.
    Recentemente eu tive uma conversa com uma pessoa de um blog que atualmente tem relativado a Palavra de Deus para apoiar o seu pecado. Ele assumiu o homossexualismo e disse que só aceita o que Jesus falou, para ele o restante da Bíblia não tem valor nenhum. E o argumento dele para permanecer no homossexualismo é que Jesus não condenou essa prática então ele chegou a conclusão de que quem cala consente. Quando ele falou isso a nossa conversa terminou. No entanto o que, mas me chamou a atenção foi a quantidade de pessoas que se dizem servir a Jesus e estão, tal qual esse indivíduo, relativando a Bíblia e ainda alegam que estão salvos. Usam a verdade da Palavra naquilo que lhes interessam, refutam aquilo que lhes não soa bem e dizem que são fiéis a Deus. Só se for ao deus desse século. A verdade liberta, mas há pessoas que preferem as meias verdades para que mesmo presos ao pecado pensarem que estão livres. Quanto engano!!
    Que possamos, dia após dia, nos santificar na verdade.
    Fique na Paz!
    Pr. Silas

    ResponderExcluir
  6. Jorge,
    Um daqueles que te falei que estão relativando a Bíblia esteve em meu blog e “descascou” em cima do seu texto. Inclusive perguntou se você é Deus para falar o que falou. Acho que você mexeu em casa de marimbondo (rs).
    Fique na Paz!
    Pr. Silas

    ResponderExcluir
  7. Pr. Silas,

    acho que conheço esse ex-cristão... também tentei alertá-lo, mas quando se quer ouvir apenas a voz do pecado, fica-se surdo para a revelação especial, e a razão.

    Agora, interessante como ele é capaz de julgar como verdadeiras apenas as palavras de Jesus, enquanto o restante é relativo e provavelmente falso (ao menos aquilo que o desagrada e aponta para o seu pecado). Qual é o seu critério? Se a maior parte é falsa, o que lhe garante que as palavras do Senhor são verdadeiras? Quem escreveu os Evangelhos não foram Mateus, Marcos, Lucas e João? Quem garante que transcreveram corretamente a fala do Senhor?

    Creio que aí está o grande problema. E esse é o dilema dos incrédulos que se dizem crentes: quando decidem a partir de suas mentes caídas e corrompidas "fatiar" a Escritura e pegar apenas o que lhes é conveniente, tornam-se contraditórios, pois o mesmo Deus que inspirou e preservou a parte que lhes interessa, preservou todas as demais. Então, ou não se crê em nada, ou se crê em tudo. Não há meio-termo.

    Mas o ímpio é e sempre será incoerente, contraditório, até que o bom Deus, pelo Seu poder, regenere e transforme a sua mente à semelhança de Cristo; se esta for a Sua vontade.

    Mais uma vez, obrigado pelo comentário.

    Cristo o abençoe, meu irmão!

    Grande abraço.

    ResponderExcluir
  8. Pr. Silas,

    O rapaz está mais perdido que cego em tiroteio. Respondi-o em seu blog; mas o problema de pessoas como ele é que não conseguem ler minimamente nada, sem se sentirem perseguidos.

    E o argumento (ou melhor, a falta dele) é acusar-nos de autoritários, "Deus", donos-da-verdade, etc. Pois bem, se a Bíblia não é a verdade, por que eu iria lê-la? Se é possível ser salvo sem Cristo, por que segui-lo? Se posso alcançar o céu vivendo livremente no pecado, para quê buscar a santidade?

    Como disse, no fundo, são incoerentes e contraditórios, pois dizem crer quando descreem.

    E o mais engraçado é que "exigem" a nossa tolerância quando são intransigentes. Mas, novamente, está a se confirmar a contradição.

    Que Cristo se apiede de suas almas.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  9. Jorge,
    Já publiquei a sua resposta ao Ednelson, creio que ele não ficará nada satisfeito com ela, pois ele além de tudo não crê na Bíblia, mas em partes dela, ou seja, não crê em nada já que toda a Escritura é inspirada por Deus, e como você disse quem garante que os Evangelhos são verdadeiros?
    Jorge, esse Ednelson faz parte de um grupo que diz que “saíram da gaiola”, veja o perfil dele e você verá a relação de pessoas que fazem parte desse grupo. Muitos deles falam coisas absurdas, questionam a Bíblia o tempo todo e um deles, o que eu sei, é um homossexual assumido (esse saiu do armário) rs. E esse que saiu do armário tinha um blog com o título de Cristão Revoltado, dá para entender um negócio desses.
    Para mim isso só prova que Jesus está voltando, e como Jesus mesmo falou que nos últimos dias o amor de muitos esfriaria, creio que é isso que está acontecendo.
    Fique na Paz e em paz!
    Pr. Silas
    PS: Fique a vontade para respondê-lo caso ele apareça em meu blog lhe questionando.

    ResponderExcluir
  10. Pr. Silas,

    definitivamente, não ficarei em "guerrinha" com ninguém.

    Deus, falando na Escritura, e eles não se convencem da verdade, o que eu posso fazer? Por eles, nada. A não ser orar para que o Senhor abra-lhes a mente e o coração, convertendo-os dos seus maus caminhos.

    Casos como os desses "cristãos" revelam mais uma vez a incapacidade e impossibilidade do homem conhecer a Deus se Ele não se revelar. São aqueles de quem Paulo falou: "Que aprendem sempre, e nunca podem chegar ao conhecimento da verdade" [2Tm 3.7]; e, tendo aparência de piedade, negam a eficácia dela com seus atos [2Tm 3.5].

    Como o Senhor disse, quem tem ouvidos para ouvir, ouça [Mt 13.9], porque há aqueles que têm ouvidos mas são incapazes de ouvir. E a continuação do que Cristo diz é claríssima:"Por isso lhes falo por parábolas; porque eles, vendo, não vêem; e, ouvindo, não ouvem nem compreendem. E neles se cumpre a profecia de Isaías, que diz: Ouvindo, ouvireis, mas não compreendereis, e, vendo, vereis, mas não percebereis. Porque o coração deste povo está endurecido" [Mt 13.13-15].

    E agora, José? É o próprio Senhor Jesus falando; será que eles acreditarão?

    Meu irmão, até dá para se conversar com o incrédulo [e é nossa obrigação fazê-lo], mas o obstinado em pecar, do alto do seu orgulho e arrogância, é perda de tempo.

    Paulo diz: "Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o" [Tt 3.10]. E, como a Bíblia é a verdade, é o que farei neste e em outros casos.

    Abraços, meu amigo!

    Cristo o abençoe, aos seus queridos, e ao seu ministério!

    ResponderExcluir
  11. Olá, irmão.

    Ótimo texto. Combinou com um vídeo que acabei de postar no site, e creio que você vai achar interessante. Fala bem sobre o relativismo e o pluralismo que enfrentamos diariamente:

    O balão vermelho:
    http://www.internautascristaos.com.br/videos-diversos/591-balao-vermelho

    De fato é incrível que as pessoas relativizem coisas óbvias, e aceitem como verdades afirmações contrárias.

    Certa vez, evangelizando um amigo de trabalho, ele sinceramente disse que acreditava em tudo que eu estava dizendo sobre Jesus, pois (esta é a parte triste) ele acreditava em tudo que lhe diziam, pois para ele tudo é verdade.

    Só Deus mesmo pra converter a alma de alguém que nega a lógica, pois nenhum argumento lógico que usarmos fará efeito com gente assim.

    ResponderExcluir
  12. Tiago [I.C.],

    realmente é um vídeo muito bom, ao mostrar a incoerência, a ilogicidade, e loucura dos pluralistas e relativistas; sempre carregada de autocontradição, pois, como está no vídeo, eles acusam a "menina do balão" de ser intolerante, mas o que eles acabam por ser? Intolerantes, ora!

    Se não concordarmos com a falsa proposição de que não há verdade, enquadrando-se no seu esquema conflituoso, seremos chamados de xiítas, fundamentalistas, extremistas, beligerantes, e por aí afora.

    No fundo, o relativista e o pós-modernista defende absolutamente, com unhas e dentes, seus falsos pressupostos.

    Agora, como esse seu amigo de trabalho eu ainda não vi. Alguém que concorda com tudo, sem exceção, é inusitado, e intrigante. Fico pensando nele diante de um assassino, prestes a ser morto... Será que dirá ao criminoso: "você está certo, mate-me!"?

    Esse, de todos, é o pior tipo: aquele que renunciou definitivamente à razão, à verdade, e a vida.

    Andas meio sumido do meu minifúndio. Mas ainda espero as suas considerações sobre aquele meu texto que está lendo.

    Grande abraço, meu amigo!

    Cristo o abençoe imensamente!

    ResponderExcluir
  13. Jorge,
    Eu assisti o vídeo também, realmente ele complementa o seu texto. Eles conseguiram mostrar de forma simples, mas objetiva o relativismo bíblico que temos visto por aí.
    Outra coisa, o Ednelson lhe respondeu. Dê uma olhada na resposta dele.
    Fique na Paz!
    Pr. Silas

    ResponderExcluir
  14. Caros Jorge e Silas

    Impressão minha e baseada na lembrança vaga de alguns versículos... que é o fato de que argumentar infinitamente com "corações endurecidos" não é o melhor dos caminhos.

    (Depois lendo os comentários finais vi que o Jorge chegou a citar o versículo especificamente, a saber: "Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o").

    Prega-se o Evangelho uma vez, duas, três vezes, ora-se pelo cara, mas depois se ele continua teimando, partimos para outro.

    Jesus mesmo não ficava batendo em ponta de faca.
    Ele disse... "para vocês eu explico as parábolas, mas para eles (os não eleitos) eu não falo claramente nem explico, pois se eu explicar eles vão entender e eu terei que salvá-los..." (mais ou menos assim pois estou parafraseando de cabeça).

    A colega Silas em específico recomendo que leia a série sobre o Sermão das Oliveiras que está aqui:

    http://oliveira-reflexoes-reformadas.blogspot.com/2009/09/ultima-dose-entao-vira-o-fim.html

    Recomendo que leia, pois estás citando um versículo fora de contexto, quando diz que Jesus falou que nos últimos dias o amor de muitos esfriaria, e o cita condicionado por uma escatologia pessimista, pressupondo que os últimos dias seriam hoje no tempo presente.

    continua...

    ResponderExcluir
  15. continuação...

    O Jorge "nega" em público... risos... mas já conhece a perspectiva de uma escatologia otimista (de vitória) e já está lendo e dando os primeiros passos rumo ao conhecimento da doutrina pós-milenista preterista parcial.

    Dá uma lida na série e depois se desejar pode me escrever (natan@monergismo.com ou natan.oliver@gmail.com).

    Jesus quando disse estas palavras estava falando de tempos passados e não de tempos futuros, por mais que o presente hoje esteja ruim, em perspectiva está muito melhor do que no início da história da igreja quando o mundo jazia no maligno e a igreja era composta de milhares de pessoas apenas.

    Hoje o reino tem milhões de pessoas verdadeiramente vivificadas.

    Não sejamos pessimistas.
    Leia sobre o tema em questão.

    Será uma grande aventura saber que o Senhor Jesus, não é o Salvador do Céu, nem mesmo veio para restaurar todas as coisas no céu.

    Na verdade ele é o Salvador deste mundo, e veio para restaurar todas as coisas deste mundo e desta criação.

    Portanto o futuro promete.
    E não há que se falar em volta iminente do Senhor.

    Ele virá sem dúvida, mas primeiro é necessário que se cumpra Salmos 22 onde todas as famílias das nações se converterão ao Senhor, primeiro é necessário que se cumpra o que Deus Pai disse que todos os seus inimigos seriam derrotados (tudo o que está errado e lhe é contrário na criação), e no final restará apenas a morte (o último inimigo a ser derrotado) e só depois virá o fim e a volta do Senhor.

    Abraços!
    Espero não tê-los escandalizado!
    Mas a perspectiva da escolatologia da vitória é para mim mais bíblica e assunto fantástico para se discutir "ad eternum".

    continua...

    ResponderExcluir
  16. continuação...

    Claro que respeito meus irmãos dispensacionalistas, pré-milenistas e amilenistas, mas para tudo tem limite, e de pessimistas já bastam os telejornais e suas notícias de zoons da desgraça e do que pior ocorre no mundo.

    Não sejamos assim... "Escuta colega eu tenho uma Boa Nova para te contar..." E qual é?" "O mundo está indo de mal a pior, Satanás é o príncipe deste mundo, etc.. etc..." Isto é Boa Nova?

    Bem diferente deste outro... "Escuta colega eu tenho uma Boa Nova para te contar... " E qual é?" "Desde a cruz Satanás foi derrotado e não é mais príncipe deste mundo. Cristo reina, e o seu reino lentamente vai crescer e contaminar todo o mundo, você quer fazer parte dele e deixar de ser escravo do pecado? O Reino não é deste mundo e está no coração de cada eleito, mas a medida que mais e mais eleitos vão sendo vivificados isto se refletirá externamente neste mundo pois eles serão verdadeiros sal na sociedade e onde quer que estiverem, etc... etc..." Isto é Boa Nova!

    "Estavas vendo isto, quando uma pedra foi cortada, sem auxílio de mão, a qual feriu a estátua nos pés de ferro e de barro, e os esmiuçou. Então foi juntamente esmiuçado o ferro, o barro, o bronze, a prata e o ouro, os quais se fizeram como pragana das eiras do estio, e o vendo os levou, e não se achou lugar alguma para eles; mas a pedra, que feriu a estátua, se tornou grande monte, E ENCHEU TODA A TERRA." Daniel 1.34-35

    O ferro, barro, bronze etc... são impérios que existiram mundialmente antes da cruz.

    A pedra cortada sem mãos humanas é o Reino que foi chegado quando Jesus aqui esteve ("arrependei-vos pois é chegado o Reino dos Céus").

    Agora cuidado para não se escandalizar... risos...

    Hoje ainda há muito resquício do helenismo (bronze) e também muito resquício do ferro (roma), mas a medida que a Igreja cresce e o número de eleitos aumenta, destas influências culturais não ficará lugar algum como "pragana das eiras do estio que o vento levou..." e passados digamos uns 40 mil anos...com a igreja sempre crescente, é possível sim ser PLENAMENTE OTIMISTA pois o texto diz que o Reino ENCHERÁ TODA A TERRA, e que "Certo é o sonho e fiel a sua interpretação...".

    Choquei vocês?
    Leiam a minha série.
    Na realidade não é minha.
    O culpado é o Felipe do Monergismo, depois o Vincent Cheung, depois Rousas Rushdoony, Kenneth Gentry, e muitos outros...

    "E nos últimos dias... Ele julgará entre as nações, e repreenderá a muitos povos; e estes converterão as suas espadas em enxadões e as suas lanças em foices; uma nação não levantará espada contra outra nação, nem aprenderão mais a guerrear." Isaías 2.2-4

    continua...

    ResponderExcluir
  17. continuação...

    "Todos os limites da terra se lembrarão, e SE CONVERTERÃO ao Senhor; e todas as famílias das nações adorarão perante a tua face." Salmos 22.27

    O mundo estava virado num alho (muito pior que hoje em qualquer quesito: homossexualismo, canibalismo, torturas, violências, pestes, fomes,...), Paulo e Silas presos, mas na perspectiva do Reino e do seu crescimento cantavam mesmo estando presos e recém açoitados...

    E nós, num mundo presente, onde milhões já foram alcançados como nós, não estamos presos, não fomos açoitados e ficamos pregando uma escatologia pessimista e quase que torcendo quando Satanás parece que obtém uma vitória aqui e outra acolá....?

    Mesmo que estejamos sozinhos, sem igreja, sem irmãos, presos, açoitados, amarrados, com fome, com sede... etc... se olharmos em perspectiva para o Reino no mundo todo, e o seu crescimento, é impossível ficar pessimistas, e vamos sim cantar e orar também dizendo "Venha a nós o teu Reino...".

    Acho que tive um surto escatológico... risos...

    Bem... vocês não vão ler os textos (provavelmente)... mas eu acho que fiz a minha parte.

    Meus caros, existe uma escatologia de vitória.
    É bíblica, coerente e muito mais lógica e racional (a meu ver) que as demais.

    PS: Deixem o Ednelson em "paz" afinal "quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, seja santificado ainda."

    ResponderExcluir
  18. Olá Natan,

    Entendo o pós-milenismo, mas não encontro base bíblica para ele. Antes seria um pré que um pós milenista.

    E não penso que o amilenismo seja derrotista ou pessimista, muito pelo contrário, vejo-o como o sistema escatológico mais triunfalista e positivo que existe, pois reconhece que o Reino de Cristo é real já e está em operação agora, e que os eleitos estão assentados nas regiões celestiais.

    A bem da verdade, Pós e Pré-milenismo se baseiam na mesma crença equivocada de que o Reino é físico e neste mundo. Por outro lado, o Amilenismo entende o Reino como ele de fato é: espiritual.

    Cristo reina na Igreja, sobre a Igreja, e através da Igreja.

    Forte abraço a todos.

    ResponderExcluir
  19. Caro Editor do Internautas Cristãos... Acho que é Tiago (nome do meu filho)

    No antigo site do monergismo, você encontrará pelo menos uns 200 textos que falam dos vários modelos escatológicos e dos autores pós-milenistas você terá nos seus textos vasto argumento e base bíblica para o pós-milenismo preterista-parcial.

    Na série que eu escrevi sobre o Sermão das Oliveiras eu comparo texto com texto um por um.

    Mil vezes ser amilenista do que pré.
    O pré principalmente o dispensacionalista prega uma série de coisas que absolutamente nunca irão ocorrer.

    O amilenismo é pessimista quanto ao futuro, no sentido de quando diz que o mundo jaz no maligno e vai de mal a pior e geralmente também dizem que os eleitos serão poucos (muitos chamados mas poucos escolhidos).

    Veja que o pós-milenismo preterista parcial também reconhece que o REINO DE CRISTO É REAL JÁ E ESTÁ EM OPERAÇÃO AGORA, igualmente também crê que OS ELEITOS ESTÃO ASSENTADOS NAS REGIÕES CELESTIAIS com Cristo.

    Nisto ele é idêntico ao amilenismo.

    Veja também que o pós-milenismo DE FORMA ALGUMA crê que o Reino é físico, você está enganado, veja que Jesus mesmo disse que o Reino estava dentro de nós (do coração de cada um dos seus eleitos).

    E também o pós-milenismo não diz que o reino não seja espiritual, pois veja se ele está dentro de nós, é evidente que ele é espiritual.

    continua...

    ResponderExcluir
  20. continuação...

    Então perceba que apesar de o Reino não ser físico (está dentro de nós), o pós milenismo prega que o reflexo deste Reino de verifica e influencia este mundo sim, pois quanto maior o número de pecadores que vão sendo vivificados, maior será o efeito e o reflexo das suas vidas no mundo físico, pois estas pessoas que tem o Reino vibrante dentro dos seus corações como realidade espiritual, irão fazer diferença e mudar a sociedade onde quer que se encontrem.

    Sim meu caro, Cristo reina na Igreja, sobre a Igreja, e através da Igreja, mas o ponto é que a igreja (soma de todos os eleitos em todo o mundo) onde a realidade do Reino é espiritual e bem presente, está crescente em número.

    Começou com 12, depois 70, depois 400, depois 3000 e hoje milhões, e chegará um dia que serão tantos quanto as areias da praia, que se dirá que como as águas cobrem o mar assim será o conhecimento e a influência do Reino sobre toda a terra.

    Desafio você a ler a minha série sobre o Sermão das Oliveiras e apontar erros interpretativos.
    Analisarei cada um deles com muito carinho.

    Eu sabia que você era amilenista.
    Li sua reflexão sobre o Reino no seu site.
    Mas ninguém é perfeito... he, he, he, he...
    E muitos homens de Deus sinceros e piedosos são amilenistas.

    O melhor livro que eu li sobre o amilenismo foi "A Bíblia e o Futuro" de Anthony Hoekema.
    Fui dispensacionalista por anos.
    Fui amilenista por pouco tempo.
    Aprendi o amilenismo de autores amilenistas tipo Hendriksen, Hoekema e Hanko.

    Mas depois que eu li Kenneth Gentry, Vincent Cheung, R C Sproul, Brian Godawa, David Chilton, Greg Bahnsen, Rousas Rushdooney, Gary DeMar, Jack van Deventer, Jay Rogers, Loraine Boettner, Keith Mathison.... confesso que a vida não foi mais a mesma.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
  21. Olá irmão "Oliveira",

    Você escreveu sobre o Sermão das "Oliveiras" não foi por acaso né rs.

    Sim, sou o Tiago. Você tem bom gosto para escolher nome para filho hehe.

    Bom, já que invadimos o blog do Jorge e fugimos totalmente do assunto, vamos lá, acho que ele não ficará bravo com a gente.

    Eu já fui pré-milenista, mas não dispensacionalista. Aliás, nem sei como posso chamar o tipo de pré-milenismo no qual eu cria. Era praticamente um amilenismo com um milênio no meio, algo meio louco assim. Mas já abandonei essa crença em um milênio literal, quer antes, quer depois, quer no meio.

    A parte do pós-milenismo que eu afirmo que falta base se resume nesta sua frase:

    "Começou com 12, depois 70, depois 400, depois 3000 e hoje milhões, e chegará um dia que serão tantos quanto as areias da praia, que se dirá que como as águas cobrem o mar assim será o conhecimento e a influência do Reino sobre toda a terra."

    Não sei porque, mas isso me faz lembrar da igreja Bola de Neve rs. Não creio, nem vejo na Escritura, essa progressão geométrica. Creio que o conhecimento de Deus encherá toda a terra sim, mas somente quando Cristo retornar.

    Não sou pessimista nem otimista, apenas realista. O mundo jaz no maligno, e vai continuar morto até que Cristo retorne e ponha as coisas nos seus devidos lugares. Eleitos no Reino Eterno, réprobos no Fogo Eterno. Essa é nossa esperança.

    Se, como afirma o pós-milenismo, as coisas forem ficando cada vez melhores no mundo, a esperança e expectativa da volta de Cristo vai cada vez se enfraquecendo mais. Ficaria a pergunta no ar: "Pra que Jesus voltar e pôr ordem na casa se já tá tudo em ordem?"

    De qualquer forma, penso que escatologia (quando não torce ou nega doutrinas fundamentais) é um assunto periférico.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  22. Natan, Tiago,

    É uma honra tê-los por aqui, portanto, podem debater à vontade o assunto escatológico.

    Já tive as minhas "rusgas" com o Natan; e como ele me acha teimoso e eu o acho um cabeça-dura, demos uma parada no debate. Até porque, não entendo muito de escatologia, e me parece algo meio nebuloso e impreciso.

    Como o Natan gosta de afirmar que procuro "chifre em cabeça de cavalo", eu posso afirmar que os ferrenhos defensores escatológicos também gostam de procurar (não falo da volta de Cristo. É a única coisa com que concordo na escatologia, e parece que todos concordam, pois é bíblico. Assim como a reunião da Igreja, a Noiva, com o Senhor e Noivo).

    Como me parece que os dois são entendidos no assunto, o debate de vocês pode ser elucidativo, ao menos para mim, quanto à visão amilenista, visto já conhecer uma boa parte dos pontos pós-milenistas via Natan. Há coisas que concordo, e outras não. Mas, sinceramente, como tenho pouco tempo e outras prioridades de estudo, vou deixando para quando Deus quiser, e assim, fica adiada a minha posição.

    Em princípio, sou um pré-milenista histórico, ainda que, como o Tiago disse, eu não saiba muito bem o que seja. Apenas tenho uma simpatia, pouco fundamentada, é verdade.

    No mais, que o bom Deus os abençoe!

    Grande abraço, meus irmãos!

    ResponderExcluir
  23. Irmãos e amigos (Natan, Tiago e Jorge),

    Eu, como o Tiago, considero esse assunto periférico. Houve tempo em que eu me preocupava muito em debater escatologia, mesmo reconhecendo que, como o Jorge, sei pouco. Simpatizo com o amilenismo.

    No tocante ao crescimento e progressão geométrica do Reino, tenho sinceras dúvidas, concordando com o Tiago nesse ponto: o mundo jaz no maligno. E, sei não, desconfio que tende a piorar pelo que tenho visto: cristãos outrora sérios se transformando em hereges (Silas, etc); multiplicação e crescimento de seitas propaladoras da apostasia (Valdemiro, R. R. Soares, Benny , etc), teologia da prosperidade, triunfalismo...).

    Haverá a cada dia, a meu ver, o joio crescendo por entre o trigo, até que sejam colhidos e separados. De fato, não tenho o otimismo do Natan. De otimismo, somente a certeza de que estou com Cristo, e que muitos outros também estão.

    Confesso, porém, que preciso estudar mais sobre o assunto.

    Grande abraço a todos!

    Ricardo

    ResponderExcluir
  24. Caros

    Leiam os textos (os que estão no monergismo e que falam sobre escatologia).
    Só depois é que poderemos debater com alguma produtividade.

    Aqui vou me ater a apresentar a base bíblica para o "crescimento geométrico" do Reino em número de eleitos.

    Vamos contar juntos:

    O início do Reino:
    -------------------------
    Mateus 4.17 4.17 Daí por diante, passou Jesus a pregar e a dizer: Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus.

    NOTA: O Reino (o milênio não literal) "começa" na cruz, mais efetivamente após a ressurreição quando o Senhor Jesus é entronizado. Na realidade "começou" antes, pois o pacto foi firmado com Abraão para milhares de gerações (um milênio de gerações).

    Começou com 12
    --------------------------
    Lucas 6.13 E, quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos.

    continua...

    ResponderExcluir
  25. continuação...

    Depois 70
    --------------
    Lucas 10.1 Depois disto, o Senhor designou outros setenta; e os enviou de dois em dois, para que o precedessem em cada cidade e lugar aonde ele estava para ir.

    Depois 400
    ----------------
    1 Coríntios 15.6 Depois, foi visto por mais de quinhentos irmãos de uma só vez, dos quais a maioria sobrevive até agora; porém alguns já dormem.

    Depois 3000
    ------------------
    Atos dos Apóstolos 2.41 Então, os que lhe aceitaram a palavra foram batizados, havendo um acréscimo naquele dia de quase três mil pessoas.

    Depois milhões
    ----------------------
    Isaías 19.24-25 Naquele dia Israel será o terceiro com os egípcios e os assírios, uma bênção no meio da terra. Porque o Senhor dos Exércitos os abençoará, dizendo: Bendito seja o Egito, meu povo, e a Assíria, obra de minhas mãos, e Israel, minha herança.

    NOTA: Ainda não cumprido, falando de nações inteiras convertidas (meu povo) logo milhões.

    continua...

    ResponderExcluir
  26. continuação...

    Depois milhões e milhões
    -------------------------------------
    Gênesis 49.10 O cetro não se arredará de Judá, nem o legislador dentre seus pés, até que venha Siló; e a Ele se congregarão os povos.

    NOTA: Povos inteiros se congregação ao Senhor, logo não se trata de homens de todos os tipos de povos, mas povos inteiros, logo milhões e milhões. Ainda não cumprido, pois ainda estamos na faze de homens de todos os povos, tribos e nações, mas não necessariamente povos e nações inteiras convertidas ao Senhor.

    Salmos 72.17-19 O seu nome permanecerá eternamente; o seu nome se irá propagando de pais a filhos enquanto o Sol durar, e os homens serão abençoados nele, todas as nações lhe chamarão bem-aventurado. Bendito seja o Senhor Deus, o Deus de Israel, que só ele faz maravilhas. E bendito seja para sempre o seu nome glorioso; e encha-se toda a terra da sua glória. Amém e Amém.

    NOTA: Não são mais alguns povos, mas todas as nações e povos. Ateus, ímpios e malditos não chamarão Jesus de bem-aventurado, nem mesmo serão abençoados nele.

    Depois bilhões
    ---------------------
    Gênesis 15.5 Então o levou fora, e disse: Olha agora para os céus, e conta as estrelas, se as podes contar. E disse-lhe: Assim será a tua descendência.

    NOTA: Em Romanos Paulo explica que esta descendência não é a de sangue mas a da fé, logo os eleitos serão tantos quantos as estrelas de uma noite estrelada no céu (bilhões...).

    continua...

    ResponderExcluir
  27. continuação...

    Depois incontáveis
    ---------------------------
    Gênesis 22.17 Que deveras te abençoarei, e grandissimamente multiplicarei a tua descendência como as estrelas dos céus, e como a areia que está na praia do mar...

    Gênesis 41.49 Assim juntou José muitíssimo trigo, como a areia do mar, até que cessou de contar; porquanto não havia numeração.

    NOTA: Se tirarmos uma foto do céu visível a olho humano, e formos contar as estrelas até poderemos chegar a um número (pela mesma ótica de Abraão), mas de formos contar os grãos de areia de uma só praia, seria incontável assim como José bem percebeu que a partir de um ponto, o sistema numérico de sua época não deu mais conta do recado.

    Poderia falar e falar e falar e falar, mas eu os enfadaria.
    Leiam os textos e depois me escrevam (se quiserem).

    Abraço!

    ResponderExcluir
  28. Por fim... não resisti em voltar... risos...

    1. Resolvi responder a pergunta "Pra que Jesus voltar e pôr ordem na casa se já tá tudo em ordem?"

    2. Resolvi também responder a inferência que diz "Se como afirma o pós-milenismo, as coisas forem ficando cada vez melhores no mundo, a esperança e expectativa da volta de Cristo vai cada vez se enfraquecendo mais."

    3. E por fim resolvi também comentar a expressão que diz que "a escatologia é um assunto periférico quando não torce ou nega doutrinas fundamentais.".

    Ufa! Será que eu consigo responder em poucas palavras?

    Acho que sim, se eu omitir as referências bíblicas.
    Então pressupondo que a medida que eu fale vocês lembrem das mesmas, então vou de fato omiti-las, mas se me pedirem eu sou capaz de listá-las depois.

    Resposta 1: É um equívoco dizer que a cada JÁ ESTÁ EM ORDEM, talvez seria melhor perguntar o porquê da volta, se quando ele voltar a cada JÁ ESTARIA NO FUTURO EM ORDEM. Pois bem, quando do início da manifestação do Reino, a partir da cruz-entronização-destruição-do-antigo-sistema-judaico-no-ano-70 o reino foi se manifestando aos poucos, pois Deus assim desejou, então lentamente como a semente do grão de mostarda, todas as coisas vão sendo aos poucos restauradas, até um ponto final quando da sua vinda, que ele virá não para por ordem nas coisas, mas para julgar e para derrotar seu último inimigo (a morte). Então a idéia é que homens vivificados cada vez em maior número promoverão uma evangelização em massa e IMPORTANTE uma produção cultural em massa de todo o mundo e isto na perspectiva do crescimento do Reino. Então quando dizemos "Venha a nós o teu Reino" não estamos dizendo para ele apressar a sua vinda final, mas para que o Reino venha lentamente e cresça e que a sua vontade aos poucos mas sempre crescente seja feita tanto na terra quanto no céu.

    continua...

    ResponderExcluir
  29. continuação...

    Resposta 2: O pós-milenismo não crê na volta iminente do Senhor, mas que ele ficará a direita do Deus Pai até que todos os seus inimigos sejam derrotados. Portanto de fato a expectativa da volta de Cristo vai se substituindo pela expectativa excitante do crescimento do Reino, da pedra cortada não por mão humana, do grão de mostarde que é a menor das sementes e que vai crescendo até se tornar árvore gigante que fará sombra para todos os povos. Sem tirar também que ao final existe a expectativa também da sua volta. Mas a atitude não é de escapismo (eu vou ser arrebatado e quem ficar aqui que se exploda), mas sim uma atitude de ação sobre o mundo (evangelizando - fé e aculturando - ensinando as nações).

    Resposta 3: Aqui está o grande engano. A escatologia não é assunto periférico. A escatologia (paradigma e visão de futuro que cada um tem) é determinante na prática do dia-a-dia de cada um. Assim como diz a famosa frase "para quê polir o casco de um navio que está afundando?" assim também é a prática do dia-a-dia de quem crê que o mundo está em crescente apostasia, e não em crescente influência do Reino, pois o que acredita na volta iminente de Jesus, se preocupa em oferecer a boia para sair do navio afundado (prega o arrebatamente e o fim dos tempos), e o outro que crê na restauração gradativa do navio se preocupa em restaurar o mesmo e dar os valores do Reino para todos os membros do barco (prega o crescimento do Reino a medida que mais e mais eleitos são vivificados).

    Um dirá que política não é para crente.
    O outro dirá que é pois se todos os justos se omitirem da política, os bandidos ocuparão estes espaços.

    Um dirá venha para a igreja (denominação) e vamos cultuar a Deus, e tornam as igrejas verdadeiros mosteiros modernos, centros de luz num mundo de suposta crescente negritude.
    O outro dirá aos da igreja (denominação) vamos para o mundo e vamos salgar e ensinar as nações, vamos abrir escolas, fundar partidos, financiar iniciativas culturais cristãs, fundar hospitais, assumir a gestão das cadeias, etc...

    Portanto a escatologia determina tudo o mais e por isto....
    ... o amilenista e o pré-milenista ensina o filho até inconscientemente para que ele se prepare para o fim, e ...
    ... o pós-milenista preterista parcial ensina o filho e escreve para os netos dos netos e prepara sua descendência para ensinar as nações a se congregar ao Senhor dos Senhor e Rei dos Reis.

    É uma questão de pespectiva.

    Um lê a Bíblia na perspectiva que Satanás está vencendo e em crescente sucesso a medida que a apostasia se espalha.
    Outro lê a Bíblia na perspectiva que Cristo reina e está vencendo e derrotando seus inimigos implacavalmente e lentamente a medida que o grão de mostarda cresce.

    Um faz "apologia" da vitória de Satanás e repete e repete "O mundo jaz no maligno".
    O outro faz "apologia" da vitória de Jesus e repete e repete "O mundo jazia no maligno quando do início do reino, mas a medida que o Reino cresce, a luz vai alumiando o mundo até que o mundo (hoje) já não jaz tanto assim e chegará um tempo que como as águas cobrem o mar o conhecimento e a influência do Reino será tanta que um dirá ao outro - me deixe falar do Evangelho para você - e o outro dirá - não precisa falar pois eu já O conheço.

    Abraço!

    Espero ter respondido.

    ResponderExcluir
  30. Natan,

    Um discurso bem construído e coerente, só não concordo com a essência. Para mim, a quesão não é achar que o mundo jaz no maligno e que satanás está vencendo. O mundo jaz no maligno e satanás FOI vencido! Porém, isso não importa nesse tal crescimento do reino a meu ver.

    A questão não é acreditar ou não na multiplicação da apostasia. A questão é que a apostasia está aí, crescendo, se multiplicando e contaminando as igrejas (denominações). Vemos denominações históricas sendo conspurcadas pelo falso evangelho da prosperidade, pelo triunfalismo insano e pagão; vemos o homem crescendo e assumindo proporções de 'deidade', em detrimento do sacrifício vicário de Cristo.

    Não, eu não vejo esse tal crescimento do Reino e tampouco vejo sinais de que Ele esteja crescendo. Vejo aumentarem as heresias a cada dia, isso sim. Vejo outros homens enganando e extorquindo seus semelhantes a pretexto de vender uma bênção, e ainda vejo uma multidão de pessoas seguindo-o, em fila indiana para o inferno.

    Seria maravilhoso esse Reino desenhado por você... Quase parece que a porcentagem de réprobos seria mínima. O que eu vejo, realmente, é um mundo tenebroso, pessoas cada vez piores; a maldade assumindo proporções gigantescas. A cada dia se multiplicam os crimes, e as pessoas ficando cada vez mais avaras. Enquanto isso, uma pequena quantidade de homens é que mantém viva a chama de Cristo em seus corações, tentando propagá-la com a maior dificuldade.

    E quando olhamos as multidões seguindo homens, vejo, logo à frente deles, um pequeno "deus", que não é o Deus Jaweh.

    Pode até ser que você esteja certo. Deus queira.

    Grande abraço!

    Ricardo.

    ResponderExcluir
  31. Caro Ricardo

    Direi a você o que eu disse para o Jorge a tempos passados.
    Quando eu olho ao meu lado, ou ligo a TV e vejo a overdose de pessimismo ressaltada "ad nauseam" para dar audiência... eu também sou pessimista.

    Mas respire fundo... e pense com calma e sem preconceitos (e não se ofenda com as minhas palavras)...

    A verdade é que as minhas idéias e impressões do mundo NÃO TEM A MENOR IMPORTÂNCIA, e nem mesmo as tuas...

    ... O que importa é o que a REVELAÇÃO DIZ, e se a revelação diz que o Reino crescerá tal qual grão de mostarda até se tornar árvore que dará sombra para as nações... então precisamos crer nisto.

    Entre crer na revelação e nas nossas impressões... ficamos com quem?
    Entre crer na revelação e na nossa lógica... ficamos com quem? Afinal não é lógico para você que na arca de Noé não tinha como caberem tantos animais assim? Ou você não crê no dilúvio universal?

    E se o Reino só explodirá em árvore gigantesca quando da segunda vinda... isto não combina com um crescimento de uma árvore, pois sabemos que ela (o grão de mostarda) cresce lentamente.... o grão não vira árvore repentinamente.

    Você não pode me responder (fiquei até honrado quando vi que você escreveu que fui coerente) com impressões nem com isto que você chama de essência.

    Você tem que refutar VERSÍCULO com VERSÍCULO.

    continua...

    ResponderExcluir
  32. continuação...

    Você tem que provar pela escritura, e não pelo jornal do dia, que eu estou advogando interpretações de versículos descontextualizadas e de forma equivocada.

    Esta tua impressão de que as coisas vão ruins, pode ter sido a mesma (talvez ela tenha sido até pior) de um homem médio lá pelos idos de 1400 quando a igreja estava tomada por indulgências.

    Se um caro dissesse, fica na paz que vai nascer um tal de Lutero e um tal de Calvino que vão virar tudo isto do avesso... as pessoas iriam rir da cada dele e diriam "Tu és cego? Não vês a apostasia aqui e agora presente? Não vês a igreja crescentemente tomada por charlatões e pelas indulgências?"

    O que impede, meu caro, de Deus levantar num novo "Lutero" no ano 2100?

    Mas o fato é que mesmo com altos e baixos da história e dos juízos que Deus promove temporariamente, a igreja em número absoluto de eleitos cresce sem parar, as vezes mais rápido, as vezes mais lentamente, mas sempre crescente.

    Você precisa olhar em perspectiva e para a Revelação.

    As crises presentes são motivos para que possamos nos preparar e ir para a batalha de evangelizar e aculturar o mundo e não que nos fechemos em quatro paredes esperando ansiosamente um arrebatamento iminente que não ocorrerá.

    Não fomos chamados para povoar o céu, mas fomos chamados para salgar o mundo, pregar o evangelho e ensinar as nações.

    Eu até entenderia se você me colocasse me cheque com versículos tipo...

    continua...

    ResponderExcluir
  33. continuação...

    ... MAS ESTÁ ESCRITO...

    "Muitos são chamados mas poucos escolhidos..."
    "Quando o Senhor voltar porventura achará fé na terra....?"
    "E por se multiplicar a iniquidade o amor de quase todos se esfriará..."
    "Entrai pela porta estreita pois espaçoso é o caminho para a perdição..."

    Eu pensaria, temos aqui um conhecedor das escrituras, e eu refutaria versículo por versículo, engano interpretativo e contextual um por um... alguma coisa até já fiz no meu blog.

    Mas idéias por idéias, essência por essência, tantos as minhas quanto as tuas são fraquinhas.

    Você tem que refutar os versículos.

    O colega Tiago disse que não havia base bíblica para o crescimento "geométrico"... eu dei a base bíblica.

    Agora é momento de me corrigir, naquilo onde eu usei a escritura de forma errada, e eu por minha vez vou espernear e treplicar.

    Agora não dá para negar que lendo tuas idéias, fica claríssimo que você é pessimista.

    És um soldado do Reino que vai para a batalha já CRENTE que a maldade vai assumir proporções gigantescas e que a cada dia os crimes vão se multiplicar e que só uma pequena quantidade de homens é que mantém viva a chama de Cristo em seus corações.... (palavras suas).

    Você sofre da síndrome de Elias, que orava "Senhor, só eu fiquei fiel de todo o Israel..." e o Senhor lhe diz "Ledo engano, existem ainda 7000 homens que eu reservei para mim e que não se curvaram a Baal".

    continua...

    ResponderExcluir
  34. continuação...

    Veja a última postagem do Temporas e veja o depoimento do Dr. Mauro que num só templo na Ásia, 45000 pessoas assistem os cultos numa igreja reformada presbiteriana, justo ela que no Brasil são perfeitas e pequeninas como aquelas pequenas árvorezinhas que são podadas para não crescer (acho que se escreve banzai...).

    Você julga o crescimento do Reino pela tua vidinha de digamos 100 anos no máximo.... dá uma lida no meu blog este final de semana que eu vou escrever (se Deus permitir) uma reflexão só para ti, cujo título será "Um milênio de 400.000 anos".

    Leia a minha reflexão que vou escrever antes ou depois da Fórmula 1, e você entenderá que estamos vivendo a pré-história da igreja.

    Grande abraço!

    Aliste-se ao meu lado.
    O Senhor reina!
    O Reino cresce!
    Satanás está restringido (amarrado) e não pode mais enganar as nações e isto criou um hiato que será ocupado pela igreja triunfante e crescente.
    E não será por nossa causa não (poderemos até ser instrumentos), mas será como Isaías diz "O zelo do Senhor FARÁ ISTO."

    E olha que lá diz que o crescimento deste Reino não terá fim.... não terá fim?
    Mas calo sobre este aspecto pois não quero chocá-los, mas sim motivá-los a serem soldados diferenciados do Reino.

    Sim, sim, sim, sim e sim em números absolutos os réprobos serão mínimos comparados aos eleitos.

    Nunca vai ocorrer o fato (não vou explicar aqui pois já estou me delongando) de Satanás em meio a tormentos ficar gargalhando contra Deus e dizendo "Pode me torturar a vontade... mas conte quantos estão ao meu lado e que eu enganei e conte quantos estão ao teu lado no céu..."

    Isto nunca vai ocorrer, mas estes argumentos ficam para uma outra oportunidade.

    Saudações VITORIOSAS em Cristo!

    Teria algo a falar sobre a apostasia, mas também fica para uma outra oportunidade e não quero enfadá-los com a minha alegria e perspectiva otimista do Reino do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.

    ResponderExcluir
  35. Natan,

    Vou ler sim, os seus próximos textos, pode ter certeza!

    Quanto a citar versículos, eu poderia fazê-lo às dezenas, mas como você também disse inicialmente que não o faria, eu também me abstive de fazê-lo.

    Acrescento que o Apóstolo Paulo também foi um grande pessimista pelo jeito, uma vez que ele falou tanto de apostasia, heresias e tantos outros desvios doutrinários. Porém, como eu asseverei, espero que você esteja certo e que o Reino cresça e cresça mais a cada dia, para efetivamente mudar o que vemos na época presente.

    Grande abraço.

    Ricardo

    ResponderExcluir
  36. Caro Ricardo

    Fico mais feliz então.
    Quando eu prego a soberania muitas pessoas reagem com ódio.
    Quando eu prego a escatologia da vitória muitas pessoas reagem com ironia.

    Você reagiu com otimismo e isto é bom, muito bom.

    Leia os textos, não os meus (necessariamente) mas o que o Felipe já teve um grande trabalho em traduzir e que estão às centenas disponíveis no site monergismo.

    Se eu estiver certo em dizer que a escatologia determina tudo o mais, então é deveras importante que todo o cristão tenha a perspectiva correta do Reino.

    Sobre o seu último comentário:

    - Tenho certeza que você tem capacidade de citar dezenas de versículos da escritura;

    - Tenho certeza que você também faria isto para versículos que falem de escatologia;

    - Mas tenho dúvidas se os pode citar as dezenas no sentido de refutar a proposta do Reino crescente;

    - Existem sim alguns versículos que dão uma idéia de que o Reino não seja crescente, mas para cada um deles existe uma resposta pós-milenista preterista parcial coerente e bíblica que você precisa conhecer e pensar sobre;

    continua...

    ResponderExcluir
  37. continuação...

    - Quando eu digo de citar as escrituras em lugar de idéias pessoais (tipo eu acho isto e aquilo) não estou dizendo que precisam citar o texto exatamente, mas estou dizendo que quando eu falo que ".. Ele ficará a direita do Deus Pai até que todos os seus inimigos sejam derrotados..." esta fala está impregnada de um texto bíblico (que não citei explicitamente) mas que vocês conhecem, o que me permite resumir os argumentos em pouco espaço e em poucas linhas;

    - Quando eu digo e falo do grão de mostarda, estou invocando textos bíblicos já do conhecimento de vocês, sem precisar ser longo e textualmente explicar cada texto;

    - No seu comentário você se reporta principalmente na aparente apostasia que vês ao teu redor para justificar o teu pessimismo, ou realismo, e é isto que eu coloquei como não sendo argumento versículo x versículo, mas apenas impressões;

    - Veja que a apostasia, ou melhor o espírito de apostasia, sempre existiu no meio da igreja, inclusive da primitiva mas isto nunca respaldou que preguemos que o fim está próximo pois a apostasia está presente ou marcante em uma época ou outra, as vezes mais as vezes menos;

    - De fato seu último comentário é mais contundente e mais "bíblico" pois citas sem citar versículos de Paulo alertando a igreja sobre o cuidado e dos perigos da apostasia;

    - Mas veja que existem centenas de versículos escritos pela ótica humana, daqueles que aparentemente colocam o homem na decisão das suas escolhas, mas nem por isto nos tornaremos arminianos pois sabemos que estes textos escritos pela ótica humana, devem ser harmonizados com outros escritos pela ótica da soberania de Deus;

    - Assim o fato de Paulo alertar a igreja da sua época de desvios doutrinários não tem a ver com uma escatologia pessimista e de volta iminente (falo da segunda vinda), pois se assim fosse, ele não teria falado aos irmãos daquela época, mas sim falaria a cristãos de um futuro distante;

    - Um exemplo claro é que quando ele alerta Timóteo de que viriam homens avarentos, amantes de si mesmos, etc... ele não está falando dos últimos dias mas daquela época mesmo pois logo em seguida diz a Timóteo "Foge destes";

    continua...

    ResponderExcluir
  38. continuação...

    Por fim, para ficar claro como o paradigma escatológico determina tudo o mais, sem consultar a escritura me diga qual texto abaixo está corretamente escrito?

    A- "... e nos últimos dias por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará..."
    B- "... e por se multiplicar a iniquidade, o amor de muitos esfriará..."

    Outro exercício:

    A- "... e nos últimos dias virá tempo em que não suportarão a sã doutrina; mas tendo comichão nos ouvidos.... E desviando os ouvidos da verdade, voltando às fábulas."

    B- "... porque virá tempo em que não suportarão a são doutrina; mas tendo comichão nos ouvidos... E desviando os ouvidos da verdade, voltando ás fávulas."

    Seja sincero comigo, se você for pré-milenista, dispensacionalista ou amilenista, o paradigma do pessimismo é tão forte que você terá escolhido as letras A em ambos os casos.

    O colega Silas fez isto naquele comentário... uns dos primeiros nesta postagem.

    MAS PERCEBA que em nenhum dos casos existem nestes textos, nem mesmo no contexto, a expressão NOS ÚLTIMOS DIAS...

    Percebeu?

    A escatologia, o paradigma de futuro que temos, determina inconscientemente que estes versículos tenham que se cumprir nos últimos dias, e que na nossa arrogância achamos que é hoje.

    No primeiro caso Jesus estava falando do esfriamento da igreja quando da perseguição de Nero e Calígola, antes do ano 70, pois ele diz que não passaria aquela geração sem que tudo aquilo se cumprisse inclusive o esfriamento do amor de muitos.

    E no segundo caso o texto diz que VIRÁ TEMPO, não necessariamente que este tempo seja nos últimos dias. De tempos em tempos isto sempre ocorreu, mas Deus na sua infinita misericórdia trouxe um despertamento.

    Acho que já abusei da paciência de vocês.
    Não vou falar mais, mas ficaria muito feliz que vocês não alegassem falta de interesse, nem falta de tempo, e se dedicassem a estes estudos, pois repito A ESCATOLOGIA quase que condiciona tudo o mais.

    Vocês gastam horas e horas para defender os argumentos da soberania, e outras coisas mais. Sim eu já naveguei nos vosso blogs e tem algumas postagens que vocês discutem até 70 ou mais comentários...

    Pensem....

    Por que polir o casco de um navio que está afundando?
    Por que abrir escolas de princípios bílblicos se Jesus está as portas?

    O lógico seria em lugar de trabalhar para restaurar o navio, pegar boias para escapar do mesmo.
    O lógico seria em lugar de trabalhar para ensinar as nações, exclusivamente pregar o evangelho e o arrebatamento iminente para ver se seria possível salvar alguns antes que o barco (o mundo) afundasse.

    Entendeu por que a escatologia determina a ética?

    Bom estudo e um grande abraço!
    Me desculpe o tom em alguns momentos do debate, espero que tenha transparecido empolgação e não ofensa da minha parte.

    ResponderExcluir
  39. Olá Jorge, Natan e demais irmãos,

    Nunca debati diretamente a respeito do pós-milenismo com alguém porque a grande maioria dos cristãos que conheço e que não são amilenistas como eu, são pré-milenistas, boa parte deles inclusive dispensacionalistas.

    Por isso, gostaria de convidá-los a debater esse assunto com mais profundidade, analisando cada ponto e cada argumento pormenorizadamente.

    Mas para isso, é necessário um espaço mais propício, com mais recursos e onde não haja necessidade de aguardar aprovação dos comentários. Por isso, abri um tópico chamado "Pós-Milenismo" no seguinte endereço do fórum:

    http://www.internautascristaos.com.br/forum/4-apocalipse-e-as-profecias-do-fim/8550-pos-milenismo#8550

    Eu os aguardo lá.

    Em Cristo.

    Tiago Vieira

    ResponderExcluir
  40. Vou aceitar o convite.

    Mas preciso que o Jorge me diga qual é a minha senha e login para entrar no mesmo (mande para o meu e-mail) uma vez que eu o autorizei a publicar textos meus em meu nome no site dos internautas.

    Já estou com "comixão" ou seria "comichão" (sei lá...) nos dedos para ir respondendo aquelas perguntas que lá foram colocadas.

    Abraço.

    ResponderExcluir