05 janeiro 2018

Sermão em Ezequiel 33.30-32: "Honram com os lábios, desprezam com o coração!"





Jorge F. Isah





“Quanto a ti, ó filho do homem, os filhos do teu povo falam de ti junto às paredes e nas portas das casas; e fala um com o outro, cada um a seu irmão, dizendo: Vinde, peço-vos, e ouvi qual seja a palavra que procede do Senhor.
E eles vêm a ti, como o povo costumava vir, e se assentam diante de ti, como meu povo, e ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra; pois lisonjeiam com a sua boca, mas o seu coração segue a sua avareza.
E eis que tu és para eles como uma canção de amores, de quem tem voz suave, e que bem tange; porque ouvem as tuas palavras, mas não as põem por obra.”
Ezequiel 33:30-32


INTRODUÇÃO

- Ezequiel foi contemporâneo de Jeremias e de Daniel. 

- Os Caldeus invadiram Israel e Judá. E sitiaram e controlaram Jerusalém. 

- Houve uma primeira leva de judeus cativos e que foram levados para a Babilônia.

- Houve uma segunda leva de judeus cativos levados à Babilônia, por Nabucodonosor. Ezequiel estava nessa segunda leva de judeus levados ao cativeiro caldeu (cerca de dez mil homens), juntamente com o Rei Joaquim (Jeoaquim), em 597 a.c., para Tel-Abibe. 

- 2 Rs 24.10-18:

“Naquele tempo subiram os servos de Nabucodonosor, rei de babilônia, a Jerusalém; e a cidade foi cercada.
Também veio Nabucodonosor, rei de babilônia, contra a cidade, quando já os seus servos a estavam sitiando.
Então saiu Joaquim, rei de Judá, ao rei de babilônia, ele, sua mãe, seus servos, seus príncipes e seus oficiais; e o rei de babilônia o tomou preso, no ano oitavo do seu reinado.
E tirou dali todos os tesouros da casa do Senhor e os tesouros da casa do rei; e partiu todos os vasos de ouro, que fizera Salomão, rei de Israel, no templo do Senhor, como o Senhor tinha falado.
E transportou a toda a Jerusalém como também a todos os príncipes, e a todos os homens valorosos, dez mil presos, e a todos os artífices e ferreiros; ninguém ficou senão o povo pobre da terra.
Assim transportou Joaquim à babilônia; como também a mãe do rei, as mulheres do rei, os seus oficiais e os poderosos da terra levou presos de Jerusalém à babilônia.
E todos os homens valentes, até sete mil, e artífices e ferreiros até mil, e todos os homens destros na guerra, a estes o rei de babilônia levou presos para babilônia.
E o rei de babilônia estabeleceu a Matanias, seu tio, rei em seu lugar; e lhe mudou o nome para Zedequias.
Tinha Zedequias vinte e um anos de idade quando começou a reinar, e reinou onze anos em Jerusalém; e era o nome de sua mãe Hamutal, filha de Jeremias, de Libna."


- Por meio de sucessivos reis perversos, a nação de Israel havia se desviado dos caminhos do Senhor, rejeitando-o, entregues à idolatria, ao culto a outros deuses, mergulhados em pecados e em uma espiritualidade superficial e diabólica. 

- Deus conclamava o povo ao arrependimento, através dos seus profetas, para voltarem-se para ele e abandonarem os falsos deuses; mas o povo permanecia entorpecido, com suas consciências cauterizadas e servindo ao próprio ventre. 

- Enquanto isso, no meio do povo, se levantavam falsos profetas, homens que não eram enviados de Deus, e que diziam falar em seu nome, adulando o povo rebelde com promessas de que eles herdariam a terra prometida, garantindo-lhes que voltariam, em breve, para o seu país. 

- Deus levantou a Ezequiel, para que ele dissesse a verdade ao povo: tão cedo não se livrariam do jugo caldeu, e tão cedo não regressariam à sua terra. Ou seja, o cativeiro se prolongaria por muito tempo. 

- Ezequiel afirmou ainda que Jerusalém seria completamente destruída, significando que os judeus em exílio não teriam para onde voltar. 


O RECRUDESCIMENTO DO POVO

- Jerusalém cai sob as mãos de Nabucodonosor:

“E sucedeu que, no ano duodécimo do nosso cativeiro, no décimo mês, aos cinco do mês, veio a mim um que tinha escapado de Jerusalém, dizendo: A cidade está ferida."
Ezequiel 33:21


- Deus revela a Ezequiel o que acontecerá com o seu povo:

“Ora, a mão do Senhor estivera sobre mim pela tarde, antes que viesse o que tinha escapado; e ele abrira a minha boca antes que esse homem viesse ter comigo pela manhã; e abriu-se a minha boca, e não fiquei mais calado.
Então veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:
Filho do homem, os moradores destes lugares desertos da terra de Israel falam, dizendo: Abraão era um só, e possuiu esta terra; mas nós somos muitos, esta terra nos foi dada em possessão.
Dize-lhes portanto: Assim diz o Senhor DEUS: Comeis a carne com o sangue, e levantais os vossos olhos para os vossos ídolos, e derramais o sangue! Porventura possuireis a terra?
Vós vos estribais sobre a vossa espada, cometeis abominação, e cada um contamina a mulher do seu próximo! E possuireis a terra?
Assim lhes dirás: Assim disse o Senhor DEUS: Vivo eu, que os que estiverem em lugares desertos, cairão à espada, e o que estiver em campo aberto o entregarei às feras, para que o devorem, e os que estiverem em lugares fortes e em cavernas morrerão de peste.
E tornarei a terra em desolação e espanto e cessará a soberba do seu poder; e os montes de Israel ficarão tão desolados que ninguém passará por eles.
Então saberão que eu sou o Senhor, quando eu tornar a terra em desolação e espanto, por causa de todas as abominações que cometeram.”
Ezequiel 33:22-29

- Deus aplicava sobre a sua nação desobediente o castigo por ter insistido em se rebelar, e contender com Deus, praticando o mal: idolatria; sacrifício de crianças, assassinatos, e outras agressões ao próximo. 

- Temos que, quanto mais distante do Senhor, mais o coração do homem se inclinará ao pecado, maquinará o mal, satisfará a sanha maligna, rejeitando a bondade e o favor divino, rejeitando a sua Lei, e entregando-se de corpo e ao desejo perverso de rebelião deliberada. 

- Assim como aqueles falsos profetas, que incitavam o povo à permanecerem na desobediência, acalentando o mau coração que tinham com falsas promessas, mantendo-os iludidos com a perspectiva de que não seriam castigados, e de que estavam agradando a Deus e o servindo, assim também, no mundo de hoje, muitos falsos mestres e profetas incitam os homens a continuarem em suas vidas rebeldes, contaminadas pelo pecado, sem a necessidade de arrependimento, sem a necessidade do perdão divino; vivendo como se Cristo houvesse vindo ao mundo desnecessariamente. Quando muito, para dar exemplo de abnegação, de entrega, mas morrendo inutilmente na cruz, porque o homem pode, por si mesmo alcançar os favores e a graça do Pai: esse homem se acha merecedor da graça de Deus. 

- Quantas pessoas procuram uma igreja ou religião apenas para satisfazerem a si mesmas, imaginando que, com suas devoções, sacrifícios, penitências, estarão satisfazendo a Deus?

- Quantas pessoas querem, verdadeiramente, procurar a Deus pelo que ele é, agradecendo-o por tudo que tem feito em seu favor? Ao contrário, eles acham que são capazes de dar-lhe algo, procuram-no para molestá-lo com os seus egos, numa clara atitude de autoexaltação, como se pudessem dar mais a Deus do que dele receber.

- Buscam, no fim-das-contas, uma autojustificação, considerando-se merecedores dos cuidados de Deus, ao invés de humilharem-se, arrependendo-se, buscando nele o perdão. 

- Essa é a religião dos homens, em que cada um busca satisfazer-se a si mesmo, considerando os louros pelo esforço pessoal, enganando-se a si e a muitos outros, pondo a sua fé em um ídolo, um embusteiro. 

- No Éden, Adão e Eva acreditaram possível descumprir uma ordem , um preceito, dada por Deus e ainda assim permanecerem agradáveis aos seus olhos. 

- Pior, acharam que poderiam ser como Deus, caindo nas esparrelas e lorotas da serpente. 

- Mas o que lhes sucedeu após pecarem?

- Veja bem, todos os envolvidos na Queda, na tragédia do Éden, foram punidos; 

· A serpente: Gn 3.14-15.

· A mulher: Gn 3.16.

· O homem: Gn 3.17.

· A terra não ficou incólume ou foi inocentada (aquela que sustentou a árvore, que a alimentaria, de onde sairia o fruto do bem e do mal): Gn 3.17b.

- Claro que a terra não teve uma participação direta na Queda, mas por causa da quebra da mordomia de Adão, o qual era responsável e zelador da criação, ela também foi afetada pelo pecado, e agora produziria ervas daninhas, espinhos, cardos e pragas. Gn 3.18

- Assim como Adão e Eva não se arrependeram do que fizeram (pela gravidade das suas decisões, caso houvesse arrependimento, o Senhor o deixaria registrado nas Escrituras, levando-me a crer que o casal primevo não se arrependeu de seus atos), Israel também não se arrependeu, pelo contrário, insistiam obstinadamente em pecarem sucessivamente contra Deus, mesmo que Deus lhes tenha dado todos os avisos, e esperado pacientemente que o povo se reconciliasse consigo. 

- Demonstrando o que havia em seus corações, o povo, diante dos insistentes alertas de Ezequiel, como agia?

Na próxima semana, analisaremos mais detidamente esta e outras questões proclamadas pelo Senhor, pela boca do seu profeta Ezequiel. 


Nota: Sermão ministrado no Tabernáculo Batista Bíblico


Nenhum comentário:

Postar um comentário